Após descumprir medidas cautelares, o tenente-coronel Mauro Cid corre o risco de perder os benefícios garantidos ao assinar acordo de delação premiada com a Polícia Federal (PF).

Banner Obras Acre 300x225

Agora, Cid deve responder também pelo crime de obstrução de Justiça.

Em liberdade desde setembro de 2023 , Cid assinou a delação para escapar da prisão.

O tenente-coronel Cid é investigado em casos que envolvem o ex-presidente Jair Bolsonaro e cooperou no caso que apura tentativa de golpe:

  • Caso que apura fraudes em certificados de vacinação contra a covid-19;
  • Suposta tentativa de venda de joias dadas como presente ao ex-presidente;

Prisão

O tenente-coronel Mauro Cid foi preso novamente na sexta-feira (22) após descumprir medidas cautelares.

O ex-ajudante de ordens do ex-presidente Bolsonaro prestou depoimento ao Supremo Tribunal Federal (STF) após áudios vazados.

Nos áudios, divulgados pela ‘Veja’, Cid critica a condução do processo onde ele é investigado.

Cid cita o ministro Alexandre de Moraes e a Polícia Federal e afirma ter sido coagido a “confirmar narrativas”.