Um cidadão foi agredido após discutir com o deputado federal Éder Mauro (PL-PA) durante sessão da Comissão de Direitos Humanos na quarta-feira (5). Bruno Silva, que é bancário, levou dois tapas no rosto de um homem que se identificou como assessor do parlamentar, embora o gabinete de Mauro negue a ligação.

A confusão começou quando Silva gritou “Bolsonaro na Papuda”, referindo-se às investigações contra o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). O grito foi dado após a deputada Luiza Erundina (PSOL-SP) passar mal e precisar de atendimento médico, sendo levada ao hospital.

Deputados do PL, irritados com a provocação, responderam com xingamentos. Silva não recuou e a discussão escalou, com troca de palavrões e acusações. Éder Mauro, exaltado, confrontou Silva, encostando o peito no dele. Os policiais legislativos tentaram intervir, mas sem sucesso.

Agressão

No meio da confusão, um homem deu um tapa no rosto de Silva, que continuou discutindo e foi novamente agredido. O agressor não quis se identificar, mas afirmou ser assessor de Mauro, o que foi negado pelo gabinete do deputado, que também se recusou a comentar o incidente.

Esta foi a segunda confusão envolvendo Éder Mauro no mesmo dia. Pela manhã, ele participou de uma discussão no Conselho de Ética que absolveu André Janones (Avante-MG) da acusação de rachadinha, quase resultando em briga física.

Quem é o cidadão que foi vítima?

Bruno Silva, bancário de Goiânia, estava na Câmara para falar com o deputado Lindbergh Farias (PT-RJ) sobre taxas de juros. Silva criticou a postura da direita bolsonarista, que considera violenta, e anunciou que registrará um boletim de ocorrência.

“Tomei porrada para demonstrar que eles são covardes”, afirmou.

Silva criticou Éder Mauro, chamando-o de descontrolado e incapaz de fazer disputa política sem violência. Após o incidente, Silva lamentou a confusão, destacando que estava com o livro “O Céu e o Inferno”, de Allan Kardec, e que, apesar de ser espírita, não conseguiu manter o pacifismo.

“E sou espírita, acredita?”, finalizou.

Veja o vídeo: